segunda-feira, 4 de maio de 2009

A DOR DO DESEMPREGO

O desemprego é um flagelo das sociedades contemporâneas. Portugal tem neste momento cerca de meio milhão de desempregados mas estima-se que haja mais duzentos e oitenta mil a acrescentar àquele número tendo em conta todo o universo de pessoas que não tendo emprego desejariam tê-lo. As consequências sociais são dolorosas e profundas.

Ajude-nos a conhecer melhor esta realidade. Visite ONZE DE ESPADAS .

10 comentários:

Å®t Øf £övë disse...

Vou já passar por lá. Obrigado pela partilha.

Maria Emília disse...

Fui visitar o blog onze de espadas e deixei lá este comentário:
O seu comentário é bastante pertinente e necessário.
Ainda hoje passei à porta do Centro de Emprego em Sintra, ainda não eram 8 horas da manhã. A fila de pessoas à espera era de mais de 200 metros. Fiquei impressionada. Como sempre tento ver o outro lado pensei que se aquelas pessoas estavam ali, ajgumas certamente com bastante sacrifício é porque ainda há uma réstea de esperança e isso é o suficiente para inflamar o mundo. Posso ser utópica mas creio que vai dar-se uma volta e o desemprego irá começar a dimunuir.
Teremos todos que estar atentos a esta situação e isto que estamos fazendo, falar do assunto, já é uma ajuda.
Um abraço,
Maria Emília

São disse...

e dói ainda mais, quanto se sabe que nã há razão válida para tal!Ãbraços.

José Teles disse...

Perdoem-me mas tenho que comentar o comentário da Maria Emília.
«Posso ser utópica mas creio que vai dar-se uma volta e o desemprego irá começar a dimunuir».
E não é que diminuiu mesmo, trataram de produzir mais um "apagão" nos ficheiros relativos aos desempregados no IEFP e, de imediato, o país ficou com menos uns largos milhares de desempregados.
Isto só muda mesmo quando mudar-mos de política e de governo, quando a forma de organização social for outra.

Dr. Mento disse...

Actualmente, os desempregados são tratados como meros números, com as estatísticas (ainda por cima, falseadas) a esconderem os terríveis problemas inerentes à condição de desempregado.

Fala-se em taxas com dois dígitos, mas ignora-se todos os problemas sociais e até individuais provocados pelo flagelo do desemprego. Depressões, auto-estima em queda, suicídio, dificuldades financeiras, estigmas diversos, agregados familiares destruídos... não, disso não fala o Governo.

Naty e Carlos disse...

Olá amiguinha vim visitar-te e encontrei um tena excelente.parabens pela postagem
bjs

A Teoria do Kaos disse...

Olá,

Vinha dar a conhecer o Grupo Animais em Portugal
http://groups.google.pt/group/animais_portugal?hl=pt-PT

Assim se gostarem de Animais passem por lá e inscrevam-se…

Os amigos de 4 patas agradecem!

Cumprimentos,

Cadinho RoCo disse...

O desemprego é terrível mesmo.
Cadinho RoCo

Cadinho RoCo disse...

De volta.
Cadinho RoCo

São disse...

Um abraço.